quarta-feira, Abril 25, 2007

Crianças Difíceis?


Crianças difíceis? ou ....
um difícil desafio?

Quantos de nós, diariamente, no nosso mundo, que chamamos de jardim de infância, enfrentamos o desafio de trabalharmos com crianças "difíceis"?. Crianças que nos desafiam, que "mexem com o nosso interior", que nos fazem chorar e que nos fazem sentir incapazes e inúteis...

>Vou partilhar aqui um episódio, que se passou no nosso jardim de infância (comigo e com uma criança "difícil").

>O Francisco (nome fictício), é uma criança, vista por todos com um comportamento considerado perturbador, difícil de "aturar" como todos referem, incluindo a família. Na verdade, quando ele está presente na sala da sua faixa etária, é muito difícil manter a calma e a tranquilidade, dificultando o trabalho do grupo, pois o seu comportamento é facilmente reproduzido por todos os outros elementos e muitas vezes é o Francisco que incentiva directamente as outras crianças a alterarem o seu comportamento e linguagem. Confesso, que muitas vezes, desejei que o Francisco pertence-se a outra sala qualquer, menos a minha, pois já tinha tentado todas as estratégias e mais alguma para conseguir mudar o seu comportamento, sem resultados...pensei em desistir...um dia, foi o próprio Francisco que depois de eu ficar muito zangada com ele por mais um mau comportamento, disse: "Marta, eu já não aguento mais!!", mostrando-se cansado das suas próprias atitudes...

>Na verdade, isto fez-me pensar...temos que mudar isto, eu e ele, os dois!!

>No dia seguinte, depois de eu reflectir sobre isso, lembrei-me que já tinha experimentado todas as estratégias, menos uma...o colo, o abraço, as festas, o carinho....mesmo que eu não tivesse muita vontade de o fazer, mesmo, com todas as suas traquinices.
Decidi, também, não falar mais sobre o seu mau comportamento e nem deixar os outros falarem.
Nesse dia foi um grande desafio para mim, mas o Francisco foi-se acalmando durante o dia, pela minha insistência de o manter sempre perto de mim e assim, que tinha oportunidade, dava-lhe colo e fazia-lhe muitas festas.
Na hora do dormir, fui deitá-lo e fiz-lhe algumas festas, mas interrompi, porque fui deitar as outras crianças do grupo e quando terminei, o Francisco pediu: "Marta, faz-me mais festas!!" Chorei, sem ele perceber, fiquei lá, até ele adormecer. Adormeceu segurando na minha mão. Orei, para que o Francisco crescesse sem marcas negativas na sua personalidade e que a benção de Deus estivesse sempre presente na sua vida, livre de qualquer tipo de estigmatização.

>Sinto-me envergonhada, porque não tive esta atitude mais cedo, apesar de saber que era a melhor e a verdade é que preciso de coragem para continuar neste processo.

>Precisamos estar atentos a crianças aprisionadas, estigmatizadas pela família e sociedade, crianças incapazes de se salvarem da situação em que se encontram, que não têm ninguém que olhe por elas, atormentadas pelo destino, crianças que clamam por paz no seu interior.

24 comentários:

  1. És encantadora como educadora, pois a verdade dos teus sentimentos é patente nas tuas intenções de marcar positivamente a vida das crianças.
    E com o tempo teu trabalho e dedicação vão dando seus frutos. SÊ perseverante e fica sempre atenta.

    ResponderEliminar
  2. Marta: Gostei muito de ler este teu post! Gostei de o teres partilhado a tua experiencia... acho muito importante.
    Não tens que sentir vergonha...antes pelo contrário, conseguiste soluccionar o problema. Muitas educadoras teriam desistido!
    Realmente o Afecto, o Carinho, a Amizade, o Amor... ajudam em muito a resolver determinadas situações!

    Beijinhos Nossos

    ResponderEliminar
  3. Olá, gostei do teu desabafo e consigo rever-me nele...pois já me defrontei, também, com uma situação idêntica!!!

    Esta tua situação vem reforçar a minha "politica" da Pedagogia do Amor...é impressionante o que um abraço, um miminho ou um beijinho é capaz de fazer!

    Bjinho

    ResponderEliminar
  4. Amiga, conseguiste arrepiar-me...
    Gostei muito de te ler. Parabéns pela tua postura, pelo teu discernimento, pela tua sensibilidade, pela tua fé!!!
    Estas tuas palavras vieram na hora certa para mim também. E obrigada por isso também. :)

    ResponderEliminar
  5. Antes de mais parabéns pela atitude com essa criança. Gostaria de te dizer que esses são grandes desafios de quem lida diariamente com crianças, que eu chamo de diferentes não dificeis. Muitas vezes por um ou outro motivo essas crianças não se sentem no seu espaço porque o seu interior é diferente dos amigos e a única coisa que precisam é sentir que alguém gosta deles, que os respeita e tenta compreender. Nos últimos anos têm surgido muitas crianças diferentes a que se chamam crianças da Nova Era, crianças indigo e cristal, que muitas vezes pela sua natureza não se sentem integradas e têm comportamento de hiperactividade, dêfice de atenção, e outras situações. Essas crianças precisam de amor e compreensão. Não te sintas culpada por ter percebido a necessidade desse teu aluno só ao fim de algum tempo, porque segundo li tentaste de tudo o que prova que não desististe dele.

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Sou a Sara, sou educadora de infância e gostava de te convidar a entrar num projecto que criei: um fórum de educadores de infância.
    Espreita em http://ei.forumvila.com/

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito do teu testemunho. Ainda bem que tentaste mais uma ultima vez e sei que voltarias a tentar se isso não resultasse. Obrigada por nos teres contado essa tua experiência. Aprendeste tu, aprendeu o meu menino e aprendemos todos nós contigo!
    Obrigada*

    ResponderEliminar
  8. Ola Marta..sou a Isabel e vou entrar no ultimo ano do curso k tanto adoro: educação de infancia! Esta tua experiencia fez-me lembrar algumas situaçoes k ja vivenciei em estagio..e realamente a chave para conseguir k todas as crianças sejam felizes na nossa sala é mesmo o carinho, o amor, o afecto e tambem a brincadeira. Muitas vezes ficamos com cabelos brancos mas se entrarmos nas brincadeiras e nas trakinices deles as coisas acabam por se resolver por bem...Tenho a certeza k és uma optima educadora, e as tuas crianças têm muita sorte em ter-te perto delas:)
    Um beijinhu grande e continua axim..
    ASS. Isabel Cunha

    ResponderEliminar
  9. Olá colega. Hoje ao pesquizar blogs de jardins de infância, deparei-me com este.
    Ainda bem que abri e que li.
    Não consegui ficar indiferente à tua postagem. Posso dizer que as lágrimas me saltaram aos olhos.
    É o caso do francisco, e de tantas outras crianças, que nos dão a coragem de andar para a frente e de tentar realizar um bom trabalho, apesar de todas as adversidades e probações que passamos ao longo da nossa prática pedagógica.
    Gostei de te ler.
    Prometo fazer uma visita logo que crie um blog com as minhas crianças, que em principio será este ano lectivo.
    Beijinho grande
    Muitas felicidades.

    ResponderEliminar
  10. Seu blog esta lindo sempre puder darei uma passadela, me faça uma visita tambem. Doces beijos

    ResponderEliminar
  11. Marta, adorei ler o teu testemunho. muitas vezes nao conseguimos ver aquilo que está mesmo à nossa frente e nao percebemos que um simples gesto pode mudar "uma vida"... mas tu viste!
    Gostei muito do teu blog.
    Convido-te a visitar o meu em http://dri_educ.blog.com/

    ResponderEliminar
  12. Ola Martinha!

    Sensibilizou-me imenso este "episódio" real, que se passou contigo...

    Já Platao dizia: "Há razões que a própria RAZAO. desconhece...

    Afinal ha coisas que não podemos comprar, não é que sejam de elevado preço e portanto, temos que ter dinheiro para as adquirir..e porque são de elevado valor humano... são preciosas, doces, fáz bem ao carente, alegrando e satisfazendo a sua necessidade interior..e as crianças hoje, sao as grandes vitimas dessa falta de aconchego, de
    carinho, de beijos...e tu amiga, foste sensivel ao que teu coraçao te fez sentir e agir...e conseguiste que essa criança, ficasse mais rica em afectos...
    Pabens Marta! Deus te abençoe nessa tarefa tão importante...que é formares seres indefesos, dando-lhes AMOR, para amanhã tambe poderem compartilha-lo, tambem!!

    Um grande beijo no teu coraçao LINDO!!

    O teu Blog está com muita classe!!!

    Branca

    ResponderEliminar
  13. Marta:
    Gostei muito do que partilhaste.
    Quando nós somos sensíveis ao que se passa ao nosso redor, tal como tu foste, obtemos a solução para os nossos problemas.
    Ainda bem que existem pessoas como tu que reflectem, procuram alternativas e são dinâmicas!
    Eu sei que tu és uma benção e sensível a estes desafios de "crianças difíceis"

    Uma grande beijoca*

    ResponderEliminar
  14. Marta, adorei aquilo que li... por vezes andamos distraidas e não reflectimos ... as soluções estão dentro de nós, força continua assim
    Vilarinho

    ResponderEliminar
  15. http://www.saladosprofessores.com
    Descrição: O maior portal para professores de Portugal. Se é professor, junte-se à nossa comunidade e participe no fórum com milhares de outros colegas!

    qd sentires que precisas de ajuda.. visita este fórum ;) é do melhor acredita :) espero que esse menino ja esteja + calmo :)

    ********

    ResponderEliminar
  16. nao posso acrescentar nada ao que foi já dito.Apenas:OBRIGADA PELO QUE FEZ A ESSA CRIANÇA!

    ResponderEliminar
  17. Tenho um menino de 7 anos, que também é como o Francisco, onde ele está não há sossego. Seja em casa, na escola ou na rua... O meu marido é motorista de pesados no estrangeiro e vejo-me a braços sozinha com o nosso filho... É muito dificil, há dias em que choro, em que já não sei o que fazer... Simplesmente não consigo que seja um pouquinho obediente, ou menos arrogante. Se o repreendo ainda goza comigo. Faz de tudo até me ver chegar ao limite, não pára antes disso. Já frequentou uma psicóloga durante um ano, mas não resolveu nada. Já não sei mais o que lhe fazer. Carinho penso que não lhe falta, até porque até há 3 meses ( porque tive uma bebé em setembro) vivia praticamente só para ele! De qualquer forma vou tentar seguir o teu exemplo e dar-lhe ainda mais carinho. Quem me dera ter bons resultados... Um beijinho e continua a ser essa educadora dedicada

    ResponderEliminar
  18. revi-me tanto nesse post.... no ultimo ano de estagio tinha duas crianças assim, o que me fez seriamente pensar em desistir do curso porque praticamente todos os dias vinha a chorar para casa por me sentir impontente, e por em causa se esta seria realmente a minha vocação. uma delas rejeitava manifestações de afecto físico, pelo que a estratégia que utilizei foi valorizá-lo como pessoa, pela sua inteligência, e acarinhava-o com palavras e sorrisos e fazia dele meu "cumplice". com a outra criança o carinho físico resultava, mas só no momento em que era mesmo vivido, porque o que acabei por reparar foi que ele se sentia protegido e tinha comportamentos tão ou mais perturbadores. com esta última criança não houve mesmo volta a dar, com muita pena minha, mas tentei de tudo o que me lembrei, e as estratégias que resultaram foram-no uma vez ou duas. é muito frustrante, porque sei que a culpa foi minha, mas estava completamente fora do meu alcance!

    ResponderEliminar
  19. Boa noite, Marta.

    Me emocionei com o seu post, estou ingressando na carreira de professora de línguas , para o jardim e o maternal, onde a maioria das crianças estão me deixando de cabelo em pé, hoje mesmo no meu primeiro dia de aula, perdi a paciência ,rsrsrs pois sempre lecionei em escolas de idiomas onde as crianças eram muito mais comportadas, e logo iam embora, por favor me dê um conselho alguma coisa, se nao vou enlouquecer rsrsrs

    Enfim não posso finalizar sem parabeniza-la pela louvável atitude .

    Beijos

    ResponderEliminar
  20. O meu nome é junio,tenho dois filhos de 4 e 3 anos,são muito diferentes um dos outros, o mais velho chamaremos de (Juninho)é uma criança muito dificil,já tentamos de tudo e mais um pouco,inguem mais aguenta ele,nem a Baba,nem a mães e tão pouco eu!As vezes perco a cabeça e dou-lhe umas chineladas,pois nada resolvi,e até lhe digo palavras duras como ele sera mquando crecer,que ninguem gosta dele.Mas nada o faz parar de desobedecer.
    Por favor,me ajudem,se alguem ler e puder me ajudar ficarei muito grato!
    O meu e-mail é:junioasouza@yahoo.com.br

    ResponderEliminar
  21. Pois Querida penso teres seguido o melhor caminho e parabéns por teres conseguido...pois o maior problema é haver 10 Franciscos...ai as coisas complicam muito mais...como acontece com algumas colegas que mesmo com amor e tudo o mais...eles devoram tudo...mesas no chão...material rasgado...por detras da educadora e da auxiliar...agridem-se...etc.
    Bem haja pela tua coragem e resistência...continua...desejando-te felicidades.

    ResponderEliminar
  22. Pois Querida penso teres seguido o melhor caminho e parabéns por teres conseguido...pois o maior problema é haver 10 Franciscos...ai as coisas complicam muito mais...como acontece com algumas colegas que mesmo com amor e tudo o mais...eles devoram tudo...mesas no chão...material rasgado...por detras da educadora e da auxiliar...agridem-se...etc.
    Bem haja pela tua coragem e resistência...continua...desejando-te felicidades.

    ResponderEliminar
  23. Anónimo7/1/12 14:46

    Tenho dois gêmeos de 04 anos e já não sei oque fazer, eu e meu marido estamos em crise, eles destroem quase tudo que temos e não obedecem nenhuma regra, babás e empregados dizem que nunca viram crianças assim, até agora fomos pais amoros, mas confesso que já não sei o que fazer.

    ResponderEliminar
  24. parabens por sua dedicaçao é de pessoas assim que o mundo precisa

    ResponderEliminar